Balbúrdia?!

A dor de cotovelo de uma maioria branca que não conseguiu ingressar em uma universidade; a dor de cotovelo dos que entraram, mas não conseguiram, com isso, se destacar profissionalmente e alcançar o lugar que, por se considerarem parte da elite, sempre foi naturalizado como seu; a dor de cotovelo de ver que aqueles que eram considerados inferiores, numa hierarquia social com base na tradição escravocrata dessa elite brasileira, estão crescendo e “roubando” as oportunidades dos que se consideram “os homens e as mulheres de bem”, esses me parecem ser alguns dos motivos de a universidade pública ser caracterizada, por um grupo aí, como LUGAR DE BALBÚRDIA.

Tal menosprezo alivia, para os que não conseguiram uma vaga em uma universidade pública, a dor da percepção de sua incompetência e, ao mesmo tempo, com o ódio provindo dessa frustração, essas pessoas procuram – muitas vezes até inconscientemente – invalidar a conquista dos que, pela desigualdade e racismo estrutural, não deveriam, em sua opinião, estar ali.

Viva a Universidade Pública! Viva a Educação Pública de qualidade!

Por muitos “filhos” dos Racionais nas universidades!

#porumaeducaçãoantirracista

Segundo Caderno, O Globo, 02/12/2012.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s