Antifa – Coleção Slam – livro

Gostei de ter a possibilidade de conhecer, em registro escrito, o que vem sendo produzido na oralidade. A Coleção Slam me parece uma criação fundamental na atualidade. O livro Antifa* é um dentre essas produções.

É necessário dar voz e vez àqueles a quem a sociedade letrada e/ou endinheirada e/ou conservadora e/ou dita cristã e/ou… mantém na invisibilidade. Destaco como meu preferido nesta leitura o poema “Bandeira furada”, de Beto Bellinati.

Bandeira furada

Beto Bellinati

não ter orgulho de ser
brasileiro
nem vergonha

nascer no Brasil
e saber
que esse fato
sozinho
não me faz
melhor
nem pior
do que qualquer outra pessoa

assim como nascer
na Rússia, no Congo ou nos Estados Unidos,
a priori,
não faz nenhuma pessoa ser coisa alguma,
a não ser russa, congolês ou estadunidense.

do que ter orgulho?
de tentar ser ético.
ter orgulho de alguns livros que conseguir ler,
ter orgulho de trabalhos bem-sucedidos:
de aulas ministradas,
de textos escritos,
de pontes e
de relações
construídas

e ter a plena convicção de que tudo isso pode ruir,
a qualquer minuto.

um movimento em falso,
uma fala preconceituosa,
uma cotidiana atitude machista, enfim…

“SER BRASILEIRO”
VERDE E AMARELO
NÃO NOS GARANTE NADA

lutar por um país melhor não tem nada a ver
com cor de bandeira

acaso em 1889
tivessem escolhido rosa e preto
para a flâmula
ou laranja e marrom
ou azul celeste
ou vermelho
lutaríamos menos?
aliás, irmão,
pra que bandeira?
pra pagar imposto quando atravessar a fronteira?
o que é “fronteira”?
cadê essa porra dessa linha que separa os seres humanos?
por que você não pode se misturar com venezuelanos?

saber que, por lei,
judeus não podiam casar com arianos.

pisamos todos no mesmo chão

EU?
NÃO GRITO.

luto por um país melhor no meu trabalho,
na sala de aula,
olhando no olho dos meus alunos
todo dia

NACIONALISMO LEVA A NADA,
NEM CONSTRÓI NENHUMA NAÇÃO.
AO CONTRÁRIO, DESTRÓI.

NACIONALISTA ERA O PARTIDO DE
HITLER,
QUE, ALIÁS, IRMÃO,
ERA AUSTRÍACO
MAS DIZIA QUE TINHA ORGULHO
DE SER ALEMÃO.

*Antifa. Emerson Alcade et al. São Paulo: Autonomia Literária, 2019.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s