Ideias para adiar o fim do mundo – Ailton Krenak

Cantar, dançar e viver a experiência mágica de suspender o céu é comum em muitas tradições. Suspender o céu é ampliar o nosso horizonte, não o horizonte prospectivo, mas um existencial. É enriquecer as nossas subjetividades, que é a matéria que este tempo que nós vivemos quer consumir. Se existe uma ânsia por consumir a natureza, existe também uma por consumir subjetividades – as nossas subjetividades. Então vamos vivê-las com a liberdade que formos capazes de inventar, não botar ela no mercado. Já que a natureza está sendo assaltada de uma maneira tão indefensável, vamos, pelo menos, ser capazes de manter nossas subjetividades, nossas visões, nossas poéticas sobre a existência. Definitivamente não somos iguais, e é maravilhoso saber que cada um de nós que está aqui é diferente do outro, como constelações. O fato de podermos compartilhar esse espaço, de estarmos juntos viajando não significa que somos iguais; significa exatamente que somos capazes de atrair uns aos outros pelas nossas diferenças, que deveriam guiar o nosso roteiro de vida. Ter diversidade, não isso de uma humanidade com o mesmo protocolo. Porque isso até agora foi só uma maneira de homogeneizar e tirar nossa alegria de estar vivos. (2019, p. 32-33)

Ando devorando livros como quem come pão quentinho saído do forno da padaria. Você está passando na rua, sente o cheiro irresistível da fornada, entra, pede o pão e já sai comendo no meio da rua. Esta é a minha maior terapia em tempos sombrios: livros.

Correndo as fotos do Instagram, vi uma das mediadoras do Clube de Leituras Leia Mulheres RJ – @lilieolivro – falando sobre a rica experiência com a leitura de Ideias para adiar o fim do mundo. Pela análise, fiquei encantada e louca de vontade de lê-lo. Seria mais um para a pequena pilha que nunca diminui em minha mesinha de cabeceira… Ao entrar, porém, numa livraria, no mesmo dia do encanto, vi que era pequenino. Não resisti. Era leitura certa para um breve intervalo de tempo no caminho do trabalho até em casa de metrô. E assim foi.

Acho que é verdade que os melhores perfumes estão nos menores frascos. Foi o caso aqui.

Como já deve ter dado para perceber com o trecho transcrito no início, Krenak me fez pensar algumas coisas bem interessantes sobre o nosso mundo e a nossa situação no mundo. Será que sabemos, de fato, o significado de cidadania? Sabemos o que é liberdade e temos o direito de exercê-la? Temos consciência do que somos, de onde viemos e do que fazemos aqui?

Krenak afirma que “se as pessoas não tiverem vínculos profundos com sua memória ancestral, com as referências que dão sustentação a uma identidade, vão ficar loucas neste mundo maluco que compartilhamos”. (2019, p. 14)

Ele traz também uma visão de Mujica a respeito de cidadania. Segundo ele, “José Mujica disse que transformamos as pessoas em consumidores, e não em cidadãos. E nossas crianças, desde a mais tenra idade, são ensinadas a serem clientes. Não tem gente mais adulada do que um consumidor. São adulados até o ponto de ficarem imbecis, babando. Então para que ser cidadão? Para que ter cidadania, alteridade, estar no mundo de uma maneira crítica e consciente, se você pode ser um consumidor? Essa ideia dispensa a experiência de viver numa terra cheia de sentido, numa plataforma para diferentes cosmovisões. (2019, p. 24-25)

Enfim, precisamos aprender muito mais com aqueles a quem julgamos, um dia, pagãos não civilizados. Seriam eles os bárbaros?!

Nós vivemos num mundo em que você tem de explicar por que é que está mamando. Ele se transformou numa fábrica de consumir inocência e deve ser potencializado cada vez mais para não deixar nenhum lugar habitado por ela. (2019, p. 65)

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019. (Este realmente acabou de sair do forno!)

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s