“A guerra não tem rosto de mulher”, de Svetlana Aleksiévitch

Li, no ano passado, o livro “A guerra não tem rosto de mulher” e vi a peça de mesmo título há uns dois ou três meses no Teatro Poeira, no Rio de Janeiro. A jornalista Svetlana Aleksiévitch recolheu relatos de russas que tiveram de se alistar na Segunda Guerra Mundial e só vieram a ser condecoradas 40 anos depois.

Imaginar o que centenas de mulheres viveram numa guerra feita por homens, para homens, contra homens é assustador. Elas passaram anos no front até receberem o primeiro conjunto de roupas íntimas femininas. Nem coturnos (as botas militares) havia em numeração pequena. Muitas, ao voltarem pra suas casas, foram renegadas por suas famílias porque não eram mais consideradas moças puras, “castas”, direitas, tendo convivido tanto tempo com pelotões de homens.

Vale muito a pena ler!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s