Sob que valores os jovens estão sendo formados na prática, não na teoria?

Faz 5 anos que escrevi o texto destacado abaixo e o publiquei no FB e em um velho blog meu.

Não me lembrava dele, mas mencionei o caso que ele relata exatamente esta semana a alguns de meus alunos numa conversa sobre ética e valores diante de toda a corrupção que estamos vivendo. Por uma feliz coincidência, mexendo no meu blog antigo, a fim de recolher textos que já escrevi sobre filmes e trazer pra este blog, encontrei-o.

Orgulho-me de nunca ter permitido que meus filhos falsificassem identidade como muitos de seus colegas e amigos o fizeram com o intuito de entrar em boates antes dos 18 anos. Hoje ambos são maiores de idade (23 e 19) e estão seguindo suas vidas com atitude e correção.

Acho que a sociedade não está caminhando por uma boa estrada e as perspectivas dos caminhos a seguir e as percepções do que se pode ou não fazer, seja pela sobrevivência, seja pelas satisfações pessoais, são, cada vez mais, dúbias. Os nossos jovens não estão internalizando boas coisas e muitos dos que se inpiram em dogmas de fé – por favor, é apenas uma percepção bem pessoal – estão sendo levados a agir em defesa verbal de alguns valores morais (do seu “quadrado”) bem específicos, mas não estão observando os próprios desvios em condutas mais gerais (professor é um bicho muito observador). Mas isso é assunto, quem sabe um dia, para uma outra publicação…

Transcrevo, então, a partir daqui o que escrevi em 2012, quando minha filha mais velha completou 18 anos. Detalhe: há cinco anos a gente não tinha uma noção tão concreta e palpável de que a podridão na política fosse tão densa, tão extensa e que a corrupção fosse uma gigantesca teia de aranha. Hoje, ao ver um apartamento cheio de malas contendo 51 milhões de reais roubados temo cada vez mais pela formação ética dos que são, neste momento, crianças, adolescentes e jovens.

Lá vai o texto de 2012.

Como mãe e professora, tenho pensado muito nos valores que as famílias transmitem a seus filhos. Hoje, no Jornal O Globo, saiu uma matéria sobre a adolescência. Nada que eu já não saiba há anos, através de meu trabalho e da convivência com amigos de filhos adolescentes. O problema é que os pais estão aceitando as condições e ratificando determinadas ações de seus filhos, para se manterem “amiguinhos” deles ou não “perderem” a rédia por completo. Beber antes dos 18 anos é proibido por lei. Entrar em boate, também! Falsificar documento, então, nem se fala. E os pais estão sendo coniventes com tudo isso!!!

Outro dia eu fiz uma declaração de amor à minha filha no Facebook, e algumas pessoas perguntaram o motivo de emocionante mensagem. Na época não disse o motivo de fato, mas hoje me deu vontade de dizer. Dia 21 de abril, minha filha completará 18 anos e somente a partir desta data ela irá, pela primeira vez, a uma boate. Ela perdeu muitas festas de aniversários de amigos que já completaram a maioridade, mas eu disse a ela que não me negava a levá-la à boate, mas não concordava e não admitia a falsificação de sua identidade. Se para entrar, ela tivesse que falsificar, simplesmente, ela não iria. Até ouviu algumas piadinhas de “amigos”. Resultado: minha filha ficou em casa alguns finais de semana sem sair com os amigos que estavam, em série, comemorando seus 18 anos em boates. Foi ruim para ela? Sim e não! Sim, porque perdeu alguns momentos de farra (mas haverá muitos outros em sua longa juventude); não, porque lhe transmiti, com essa atitude, valores: o valor da honestidade, o valor da obediência às leis, o valor da obediência aos pais e o valor de que não se deve seguir os outros, isto é, fazer o que os outros estão fazendo por necessidade de ser aceita, de se integrar ao grupo. Temos de ser autênticos em nossa essência e não fazer porque todos fazem. É isso que tem acontecido com a bebida, com as drogas, com o sexo, com tudo na juventude.

Parte da matéria está aqui, mas no jornal impresso há um trecho interessante sobre falsificação de documento com a conivência dos pais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s